sexta-feira, 12 de abril de 2013

Superalimentos

O que são os “Superalimentos”?

Apesar de não existir um definição técnica de “superalimento” é hoje comum referirmos a alimentos (em particular frutos e hortícolas) cuja composição nutricional confere mais benefícios para a saúde comparativamente a outros alimentos.

Ao fim ao cabo, são alimentos carregados de energia, nutrientes e micronutrientes que oferecem ao nosso corpo doses extras de vitaminas, aminoácidos, fibras, minerais e outros nutrientes, de uma forma completamente equilibrada, natural e totalmente assimilável pelo nosso corpo.

O mesmo não acontece com os complexos vitamínicos e minerais sintéticos. O empobrecimento dos solos, o aumento da poluição, os estilos de vida estressantes e a constante exposição do nosso organismo a toxinas, reduzem não só os níveis de nutrientes presentes na nossa comida como também a capacidade do nosso corpo de os armazenar de forma equilibrada.

Motivos pelos quais, é boa ideia incorporar os “superalimentos” e suplementos naturais biológicos na nossa dieta diária.


Maca Peruana

A Maca Peruana é uma planta da família das crucíferas (Lepidium meyenii Walp. ou Lepidium peruvianum Chacon) que apresenta um tubérculo, à semelhança do nabo e é oriunda tal como o titulo indica dos Andes peruanos. Esta espécie cresce em zonas inóspitas, a mais de 4000 metros de altura, em condições climatéricas severas de extremo calor durante o dia e temperaturas negativas durante a noite. É, aliás, nesta zona, a única planta a desenvolver-se.



Quinoa
A quinoa vem ganhando espaço na mesa dos brasileiros. Considerada um dos alimentos mais completos em nutrientes pela Academia de Ciências dos Estados Unidos e pela Organização das Nações Unidas, equiparando-se apenas ao leite materno, ela previne a osteoporose e o câncer de mama. 




Castanha do Brasil
Uma castanha do pará (rebatizada recentemente como castanha-do-brasil) por dia garante a quantidade mínima de selênio necessária ao nosso organismo, recarregando este mineral que combate o envelhecimento celular e garante uma vida longa e saudável. Para se ter uma idéia, a mesma quantidade de selênio encontrada em 5g de castanha-do-pará (uma unidade) é encontrada em 3 filés de frango (100g cada), 16 pães franceses (50g cada), 26 camarões (20g cada), 2 latas de sardinha em conserva (130g cada), 10 ostras (33 gramas cada) ou 100 copos de leite (200ml por copo). O selênio é fundamental para acionar as enzimas que combatem os radicais livres. O excesso deve ser evitado. A médio e longo prazo, a ingestão diária de mais de 2 a 4 castanhas-do-brasil pode levar à dores de cabeça, unhas fracas e queda de cabelo.




Nozes
As nozes são ricas em gordura saudável. São também ricas em anti-oxidantes como os ómega 3 e polifenóis. Apesar de conterem muita energia, não está comprovado que se ingerir 5 a 6 nozes por dia, aumentaria de peso. Elas são tão poderosas que a ingestão diária dessas 'cápsulas de saúde', mesmo em pequenas quantidades, pode evitar - acredite! - até 65% o risco de doenças do coração. Isso porque reduzem as taxas de colesterol e a formação de coágulos no sangue, além de ter ação antiinflamatória. Os responsáveis por esses benefícios são os ácidos graxos essenciais, principalmente o linolênico e o linoléico. Mais: contêm fósforo e potássio e pouco sódio, o que fortalece o músculo cardíaco.




Cacau
Os  benefícios à saúde provenientes do cacau já são conhecidos há centenas de anos. Este alimento é rico em vitaminas A, B, C, D, E e minerais como ferro, cálcio, fósforo, potássio e sódio. Além disso, o cacau apresenta alto teor fibras e de flavonóides (antioxidantes). Estudos mostram que o cacau em pó tem duas vezes mais antioxidantes que o vinho tinto e três vezes mais do que o chá verde. Estes antioxidantes auxiliam no combate aos radicais livres, retardando, assim, o processo de envelhecimento e contribuindo para a prevenção do câncer.  Os flavonóides do cacau também ativam a produção de óxido nítrico no corpo, levando ao relaxamento dos vasos sanguíneos e à queda da pressão arterial.




Peixe
A maior parte das pessoas associam o peixe aos ácidos gordos ômega 3. Esta é uma excelente gordura para proteção de doenças do coração. Além destes ácidos gordos, poderá encontrar também o Selênio  Este micro-nutriente é um potente anti-oxidante. Um estudo realizado pela Universidade da Califórnia revelou que uma dieta rica em selênio aumentava as defesas do sistema imunitário. Outros estudos demonstram que o excesso também pode ser prejudicial. Por conseguinte, deverá incluir alimentos com selénio na sua alimentação e deverá evitar tomar suplementos de selênio.


Esses são alguns dos mais importantes, em breve falaremos um a um dos alimentos mais necessários na nossa alimentação diária.